Para visualizar corretamente configurar a tela para 1024 x 768 pixels


Linux: Distribuições

Algumas distros populares

Breve histórico de algumas distros

Características de algumas distros
Código aberto e distribuições

Como escolher a distribuição?

Onde encontrar as distros

Código aberto e distribuições


Evidentemente, no início só havia um sistema Linux.

Entretanto, como muitos programadores atenderam o convite de LinusTorvalds para usar e modificar o kernel, foram criados muitos programas de instalação personalizados, diversos sistemas de empacotamento dos programas etc...

Isso acontece pois o software livre que, sendo aberto e permitindo derivações e/ou modificações, possibilita que sejam criados muitos conjuntos diferentes de programas para atender diversas finalidades ou desejos.

Como o próprio Linux e a maioria dos programas incluídos nas distribuições são livres, se uma pessoa ou uma empresa não gostar de nenhuma distribuição disponível, pode montar a sua. Da maneira que achar melhor.

E, se desejar, pode usar ferramentas já existentes para otimizar este processo. E pode disponibilizá-la, comercialmente ou não.

Uma característica do desenvolvimento do sistema é que dificimente uma nova distribuição se inicia do zero. Praticamente todas se baseiam em outra pré-existente. Assim a velocidade de desenvolvimento de novos projetos é muito maior, pois os desenvolvedores se concentrem em corrigir problemas e acrescentar novos recursos.

Portanto, uma distribuição, que também é chamada distro, é um conjunto de programas, que inclui o próprio kernel Linux e vários aplicativos, de uso comum, para às necessidades das pessoas.

Exemplo: atualmente, quando alguém instala o Ubuntu, também são instalados o gerenciador de arquivos Nautilus, o navegador Mozilla Firefox, o processador de textos, planilhas, e apresentações LibreOffice.org e vários outros programas.

Então, hoje há mais de 500 distribuições ativamente mantidas, sendo que aproximadamente 20 são bastante conhecidas por todo o planeta. Aliás, se pensarmos também nas distribuições descontinuadas, o número chega a cerca de 2.000.


Características de algumas distros


Atualmente há várias distribuições populares, que tem fóruns ativos onde se pode fazer perguntas, se houver dúvidas.

As distros consideradas mais fáceis e recomendadas para os novos usuários, em que não é preciso dominar complexidades do sistema são: Ubuntu, Linux Mint e PCLinuxOS.

Já, OpenSUSE, Fedora, Debian e Mandriva podem ser classificadas como intermediárias.

Por outro lado, Slackware, Gentoo e FreeBSD são as distros recomendadas para usuários avançados, pois precisam de aprendizagem antes de poderem ser utilizadas de forma eficaz.

CentOS é adequada para aqueles que preferem a estabilidade, confiabilidade e suporte a longo prazo.


Entretanto, a variedade caracteriza as distros:

Algumas ocupam apenas um disquete e outras precisam de vários CD-ROMs.

Algumas podem funcionar em computadores bem antigos, com pouquíssimos recursos de hardware.

Há distribuições que são usadas por poucas pessoas. E há outras que tem muitos usuários e espalhados por toda a Terra.

Distribuições diferentes podem estar presente em vídeojogos, handhelds, laptops ou em mainframes.

E podem utilizar muitas arquiteturas de computadores: x86 (Intel, AMD), x86-64 (Intel EM64T, AMD64), ARM, PowerPC, Alpha etc...


Algumas distros populares


Bastante populares são:

Ubuntu

Instalação fácil e rápida. Inclui aplicativos bastante conhecidos, como Firefox e o OpenOffice.org. É notável pela facilidade de uso. Várias distribuições derivadas tem foco em nichos específicos, como Kubuntu, Xubuntu e Lubuntu.

Possui uma grande e ativa comunidade, o que torna rápida a resolução de possíveis problemas. Disponibiliza versões LTS.

Ambiente gráfico principal: GNOME
Sistema de pacotes: DEB (apt-get)
Recomendação: Usuários iniciantes

Fedora

Possui o instalador Anaconda, um dos mais fáceis e práticos e o SELinux, que traz políticas avançadas de segurança. Útil principalmente em servidores web. O Fedora é a versão gratuita da Red Hat, em que o RHEL (Red Hat Enterprise Linux) é o um sucesso comercial desde 2003. Assim, é forte em recursos corporativos.

Oferece um calendário de atualização semestral, com recursos de segurança excelentes. A preocupação com usuários novatos gerou muitas melhorias recebidas nos últimos anos e aumentou sua popularidade.

Ambiente gráfico principal: GNOME
Sistema de pacotes: RPM (Yum)
Recomendação: Usuários iniciantes e intermediários


Linux Mint

Distro baseada no Ubuntu, lançada em 2006. Tem seu próprio tema de desktop e um conjunto diferente de aplicações. Aprimorou a usabilidade com o mintDesktop (para configuração do ambiente desktop), mintInstall (para instalação de software) e mintMenu (para facilitar a navegação). Inclui alguns codecs multimídia proprietários, em geral ausentes em outras distribuições maiores, o que pode melhorar sua compatibilidade com hardware. Não tem um calendário de atualização, entretanto, em geral, novas versões aparecem logo após o lançamento de cada versão estável do Ubuntu.

Ambiente gráfico principal: KDE
Recomendação: Usuários iniciantes


OpenSUSE

Também é a fundação dos produtos SUSE Linux Enterprise Desktop e SUSE Linux Enterprise Server. Seu utilitário de administração de pacotes, o YaST, um painel de controle completo, é reconhecido como um dos melhores. Tem documentação impressamuito bem elaborada. Auxilia muito os usuários com conexão lenta, ou impacientes.

Ambiente gráfico principal: KDE
Sistema de pacotes: RPM (YaST)
Recomendação: Usuários intermediários


Debian

Muito estável e bem testada. Pode ser instalada em diferentes computadores inclusive com configurações fracas de hardware. O usuário necessita configurar quase tudo pela linha de comando. Há poucas ferramentas gráficas. Atualmente, é considerada uma das distribuições mais puras, pois apenas a sua comunidade mantém o sistema, não dependendo de empresas. Versões estáveis de atualizações são publicadas entre 1 a 3 anos.

Ambiente gráfico principal: GNOME
Sistema de pacotes: DEB (apt-get)
Recomendação: Usuários avançados e servidores web


Mandriva

É resultante da fusão da brasileira Conectiva e da francesa Mandrake. Preocupa-se com usuários iniciantes, tendo ferramentas gráficas, inclusive de instalação. Possui o Centro de Controle Mandriva, que permite transferir arquivos e configurações do sistema da Microsoft, instalar e remover pacotes, configurar o servidor gráfico, etc. Tem versão de 64 bits. Foi a primeira distribuição a dar suporte automático a netbooks.


Sistema de pacotes: RPM (Yum)
Ambiente gráfico principal: KDE
Recomendação: Usuários intermediários


Gentoo

Instalação do sistema e de programas é lenta, levando horas. Possui a Portage para gerenciamento de pacotes, que possibilita um sistema totalmente adaptado ao hardware existente. Entretanto, o italiano Sabayon é uma versão LiveCD (executável a partir de um CD) do Gentoo, que é conhecido por permitir aos usuários otimizar cada componente de forma individualizada. Ambos são consideradas distribuições avançadas de Linux,

Ambiente gráfico principal: Xfce
Sistema de pacotes: SRC (Portage)
Recomendação: Usuários avançados


Como escolher a distribuição?


É importante lembrar que o kernel, com pequenas modificações, é padrão para todas. Os pacotes são os mesmos, os programas também.

Então, qual é a melhor distribuição Linux?

A resposta é: não há uma melhor. Ou, pelo menos não há uma que seja melhor para todos os usuários.

É como se a pegunta fosse: "Qual a raça de cães é melhor?" Há muitas. Eu gosto de várias: dálmatas, cocker spaniels, collies, bassês.

Então, a melhor é aquela com a qual a gente se identifique mais.

Entretanto, como há muitas distribuições, foi desenvolvido um teste para auxiliar a escolha.

O teste é composto por algumas perguntas referentes aos seus objetivos com o Linux e ao seu conhecimento sobre Informática. Ao terminar aparecerá uma lista das distribuições mais apropriadas ao seu perfil!.

Para acessar o teste, acesse esse site (em inglês). Responda às perguntas e aparecerá uma lista de sistemas para testar e que podem agradar.

Linux Distribution Chooser
http://www.zegeniestudios.net/ldc/index.php

Mas, é importante testar várias.

Informar-se sobre as caracterísiticas de cada uma.

Acompanhar as notícias e ver como as versões estão evoluindo.

Realmente utilizar algumas E encontrar aquela com a qual se identifique mais.

O que é mais importante para você?

Os pacotes disponíveis? A interface gráfica? A maneira de usar?

Evidentemente, após testar uma distribuição vai ser necessário testar outras se, de fato, quiser escolher.

Uma dica é lembrar que apesar das diferenças, as distribuições de uma mesma família são muito parecdas no gerenciamento de pacotes, na organização dos arquivos,na localização dos arquivos de configuração, etc.

Portanto, é mais fácil para uma pessoa acostumada com o Debian migrar para o Ubuntu, do que migrar para o Fedora, ou o Slax, por exemplo, que tem raízes diferentes.

Lembre-se: você não está mais com um sistema proprietário que tem só um poucos jeitos de mexer.

Conhecer a variabilidade do sistema pode te dar acesso a funções e jeitos que você goste muito!


Breve histórico de algumas distros


Antigamente, a instalação do linux era complicada. E o próprio usuário deveria procurar programas que funcionassem sob o sistema operacional, como um editor de texto, ou um editor de planilhas. E ainda deveria compilá-los e configurá-los.

Ou seja, era necessário bastante conhecimento técnico para simplesmente instalar o sistema. Provavelmente é devido a isso que o Linux carrega a "fama" de ser difícil e que só pode ser usado por bons usuários.

Assim, o passo seguinte foi conseguir versões já compiladas do sistema, que pudessem ser instaladas facilmente.

H J Lu, em 1991, foi o primeiro a incluir em dois disquetes, denominados "Boot/Root", o mínimo necessário para inicializar o sistema e executar algumas ferramentas básicas, em modo texto. Logicamente, ainda não era uma "distribuição Linux" como concebemos hoje.

Entretanto, Owen Le Blanc, em fevereiro de 1992, na Universidade de Manchester, propôs a MCC Interim Linux, a primeira distribuição, em modo texto, que podia ser instalada independentemente em uma máquina. Ela congregava um conjunto de todos os programas necessários e desejáveis para permitir que se use bem um computador.

Provavelmente em abril de 1992 algumas pessoas de uma universidade pública nos Estados Unidos, a "Texas A&M University" criaram a distribuição TAMU.

Em agosto de 1992, foi lançada o SLS ("Softlanding Linux System") pela empresa Softlanding, um conjunto de arquivos comprimidos em formato zip, que geravam os disquetes de instalação a partir do MS/DOS.

Em novembro de 1992 surgiu a Yggdrasil, que podeser considerada um antecessor dos live-CDs. O boot era dado por meio de um disquete e o sistema rodava a partir de um CD-ROM. Tinha um ambiente gráfico e a opção de instalá-lo no HD usando um script em shell. Era lenta pois os CD-ROMs eram 1x ou 2x e os pcs tinham apenas 4 ou 8 MB de memória.

Uma característica do desenvolvimento do sistema é que dificimente uma nova distribuição se inicia do zero. Praticamente todas se baseiam em outra distribuição. Assim a velocidade de desenvolvimento de novos projetos é muito maior os desenvolvedores se concentrem em corrigir problemas e acrescentar novos recursos.


Um exemplo é o Slackware, que foi feito a partir da distribuição SLS, incluindo diversas modificações e melhorias em julho de 1993, por Patrick Voldering. È importante observar que foram rejeitadas as ferramentas de configuração que escondiam do usuário o real funcionamento do sistema e só foram instalados programas estáveis (e não de versões beta ou pré-releases). Assim, o Slackware, é a mais antiga distribuição ainda ativa, tem poucas ferramentas automatizadas, o que obriga os usuários a estudar para conseguir usar bem o sistema.


O Debian foi anunciado em 16 de setembro de 1993. O nome é uma contração dos nomes dos seus fundadores, Ian Murdock e de sua mulher, Debra. Como se baseia no projeto GNU, é chamado Debian GNU/Linux.

Curiosamente, o Buzz, a primeira versão do Debian, só surgiu em 1996, quando foram desenvolvidas ferramentas para

instalação fácil de novos pacotes e remoção limpa de pacotes antigos,
atualização fácil a partir de versões realmente antigas,
manutenção dos repositórios

O sistema de desenvolvimento é contínuo, e são sempre desenvolvidas simultaneamente três versões: Stable (= Estável), Testing (= Teste) e Unstable (= Instável).

O Debian Stable sempre mantém os pacotes mais estáveis e pode usar o Gnome e o KDE por padrão. Como contém pacotes mais antigos é o grande foco para servidores.

Interessante é notar que Sid, a versão instável do Debian, é uma eterna versão para testes, que nunca será finalizada, servindo de campo de testes para novas versões dos pacotes já existentes e para novos programas, possibilitando a detecção e correção de problemas. Entretanto, não é estável pois um erro em qualquer programa pode até impedir seu funcionamento.

Várias distribuições comerciais basearam-se no Debian: Linspire (antigo Lindows), Xandros, Knoppix, Kurumin, BrDesktop e Ubuntu.

Para saber mais sobre o Debian: 

Debian na Wikipedia - https://es.wikipedia.org/wiki/Debian

Contrato social de Debian - http://www.debian.org/social_contract.es.html  


Em novembro de 1994, foi lançado o Red Hat, a primeira distribuição a utilizar um sistema de gerenciamento de pacotes, em que cada programa é transformado em um pacote compactado, e que pode ser instalado por meio de um único comando.

Como o sistema guarda informações sobre os pacotes instalados, depois, se for desejado, é possível removê-los totalmente, ou seja, sem deixar restos de bibliotecas e chaves de registro.

Entretanto, em 2003, o Red Hat concentrou-se no atendimento a empresas, e passou a desenvolver o RHEL, "Red Hat Enterprise Linux", e a vender pacotes com o sistema, atualizações e suporte. Assim, o Red Hat Desktop foi descontinuado após a versão 9. Então, passou a ser desenvolvido o Fedora, que combina o trabalho de parte da equipe da Red Hat com os esforços de muitos voluntários.

A partir do Red Hat também apareceram outras distribuições: o Mandrake (França),o Conectiva (Brasil) e o SuSE (Alemanha).

O Mandrake foi lançado em julho de 1998, incluindo a interface gráfica KDE, com o foco na facilidade de uso. Logo passou a ser desenvolvido de forma independente. O Conectiva foi a primeira distribuição Linux brasileira. Em 2005 Mandrake e Conectiva se uniram, originando o Mandriva, uma derivação do Mandrake, que conta com os esforços das equipes de ambas as distribuições em seu desenvolvimento.


O SuSE contém muitas contribuições de diferentes origens. Sua primeira versão foi baseada no SLS. Em 1995 passou a utilizar os scripts e ferramentas do Jurix, que era baseado no Slackware. Em 1998 começou a usar pacotes RPM e a incorporar características e ferramentas derivadas do Red Hat, sendo que essas ferramentas foram integradas em um painel de controle central para facilitar a administração do sistema, o Yast.

Entretanto, em 2003, a Novell adquiriu o SuSE. Consequentemente apareceram o Novell Desktop (uma solução comercial) e o projeto comunitário OpenSuSE, que se baseia em uma estrutura organizacional inspirada pelo Fedora.

Percebe-se que acontece com o sistema linux o mesmo que ocorre com os seres vivos; a variedade, a abundância é parte integrante e importante do ambiente. Há várias opções e muito o que escolher.

O cladograma abaixo sobre as distros Linux sobre uma linha de tempo, mostra quais distribuições estão ativas:


(Clique na figura para ampliar).

Imagem: GNU/Linux distro timeline - distribution cladogram
Retirada de http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/1b/Linux_Distribution_Timeline.svg (acessado em 12/12/2012)


Uma tabela com as origens de cada distribuição pode ser vista em

Distribution Statistics - Independence

Detalhes sobre as dez distribuições Linux (com uma "menção honrosa" para o FreeBSD), consideradas como as mais utilizadas por usuários de todo o mundo estão em:

Top Ten Distributions - An overview of today's top distributions


Juzo-kan criou os seguintes mangás para representar algumas das distribuições linux.


Imagem: Representação das distribuições Linux
Retirada de http://juzo-kun.deviantart.com/gallery/#OS-Girls-and-computer-related-mascots (acessado em 01/03/2011)



Evolução da popularidade das distribuições


Rui Ogawa obteve um gráfico interessante com dados sobre popularidade retirados do DistroWatch desde 2002 até hoje, seguindo o critérios de H.P.D (hits por dia).

È importante observar que o eixo Y representa o ranking deve ser lido de cima pra baixo. Isto é, quanto mais próximo do eixo X, mais popular.

Notáveis são a estabilidade de Slackware e Debian e a incrível arrancada do Ubuntu.



Imagem: Evolução da popularidade das distribuições Linux de 2002 até hoje
Retirada de http://picasaweb.google.com/lh/photo/iP3Q0UgTx844SffZx4ihEw (acessado em 01/03/2011) (topo)


Onde encontrar as distros


Seguem-se endereços de algumas distribuições linux bastante conhecidas:

Arch Linux - http://www.archlinux.org/

Caldera - http://www.calderasystems.com/

Corel Linux - http://linux.corel.com/ (Debian)

Debian - http://www.debian.org/

DOS Linux - http://www.tux.org/pub/people/kent-robotti/index.html/

Easy Linux - http://www.eit.de/c/easylinux.html/

Edubuntu - http://www.edubuntu.org/

Fedora - http://fedoraproject.org/

Gentoo - http://www.gentoo.org/

Knoppix - http://www.knoppix.com/

Kurumin NG - http://www.kurumin-ng.com.br/ (brasileira)

Mandriva - http://www.mandriva.com/

MKLinux - http://www.mklinux.apple.com/

Puppy - http://www.puppylinux.org/

Red Hat - http://www.redhat.com/

Slackware - http://www.slackware.com/

SUSE - http://www.suse.com/

Turbolinux - http://www.turbolinux.com/ (Red Hat)

Ubuntu - http://www.ubuntu.com/

Xubuntu - http://www.xubuntu.org/

Yellow Dog Linux - http://www.yellowdoglinux.com/ (para Mac)

Se houver necessidade, ou até como curiosidade, há um Museu do Linux em http://www.ibiblio.org/pub/Linux/, em que se pode procurar por versões, documentação e programas Linux (com download via FTP e/ou WWW)

Para encontrar grupos de usuários brasileiros de cada distribuição basta efetuar uma busca digitando o nome da distribuição seguido pela palavra Brasil: Exemplo: Ubuntu Brasil.

Um documento sobre Linux em português, bastante completo, que pode auxiliar tanto usuários iniciantes quanto os avançados, em várias distribuições, é o Guia Foca GNU/Linux, disponível no endereço http://focalinux.cipsga.org.br. (topo)

Onde encontrar mais informação

| Referências Bibliográficas | Vídeos - Imagens | (topo)




Este "site", destinado prioritariamente aos alunos de Fátima Conti,

disponível sob FDL (Free Documentation Licence),
pretende auxiliar quem esteja começando a se interessar por internet,
computadores e programas, estando em permanente construção.
Sugestões e comentários são bem vindos.
Se desejar colaborar, clique aqui.

Agradeço antecipadamente.

Deseja enviar essa página?

Se você usa um programa de correio eletrônico devidamente configurado e tem
um e-mail pop3, clique em "Enviar página" (abaixo) para abrir o programa.
Preencha o endereço do destinatário da mensagem.
E pode acrescentar o que quiser.
(Se não der certo, clique aqui para saber mais).

Enviar página

Se você usa webmail copie o endereço abaixo

http://www.ufpa.br/dicas/linux/li-lidis.htm

Acesse a página do seu provedor. Abra uma nova mensagem.
Cole o endereço no campo de texto.
Preencha o endereço do destinatário.
E também pode acrescentar o que quiser.

Última alteração: 17 ago 2014